Construção ágil de chatbots: entenda os primeiros passos para criar sua solução

Desenvolver, gerenciar e aprimorar um chatbot é um investimento extremamente recompensador. Mas, para atingir os resultados desejados, é necessário saber como entregar valor no tempo certo. E, para isso, um método de construção ágil de chatbots é fundamental.

Pensando nos desafios que envolvem as etapas de construção, gestão e evolução de um chatbot, elaboramos uma série de três artigos detalhando processos e recomendações para atingir o máximo de eficiência em cada um desses momentos — para tanto, conversamos com Fábio Lacerda, COO da Take.

O foco deste primeiro artigo é como deve ser feita a construção de um chatbot e quais as ferramentas e processos decisivos para o sucesso dessa etapa. Continue lendo e saiba mais!

Concebendo um chatbot

Um chatbot eficiente é aquele que nasce a partir de uma demanda de negócio verdadeira. E o ponto de partida para a concepção do software é justamente a identificação real de qual é essa necessidade.

Uma loja de instrumentos musicais, por exemplo, pode precisar explicar dúvidas sobre seus produtos aos clientes todos os dias. Assim, em vez de dedicar um especialista para passar as tardes respondendo e-mails, pode programar um chatbot e deixar que esse profissional invista melhor o seu tempo na confecção e manutenção dos instrumentos.

Outro exemplo prático é o desafio de dimensionar uma central de atendimento em um setor com demandas extremamente flexíveis, como é o caso das concessionárias de energia elétrica, como o Fábio explica:

“Quando as pessoas ligam para elas? Quando ficaram sem energia por causa de uma tempestade. E quando ocorre uma tempestade, todo mundo liga. Como gerenciar um call center com esse tipo de demanda?”

Essas demandas são a base da criação de um chatbot. Tudo que será construído em seguida estará relacionado com esse problema do usuário, e este é o norte que guiará toda a equipe de desenvolvimento.

A importância de um objetivo bem definido

Assim que a demanda é identificada, é hora de definir como o software vai executá-la, ou seja, qual será sua função principal.

A performance de um chatbot está diretamente relacionada ao contexto em que ele está inserido. Dessa forma, quanto mais fechado é seu escopo de atuação, maiores as chances de que ele atenda às expectativas dos seus criadores.

Só depois que essas premissas estão definidas é possível colocar a mão na massa e partir para o desenvolvimento.

Lançando o mais rápido possível

Para ser capaz de explorar uma oportunidade de negócio, um chatbot precisa ser lançado no tempo certo. Uma etapa de desenvolvimento muito longa, além de custosa e desgastante, pode fazer com que, na época do lançamento, a oportunidade percebida no planejamento já tenha passado.

E é por isso que é tão importante planejar bem a construção de chatbots:

“Tempo muitas vezes é o mais importante para competitividade. É importante experimentar rápido, validar rápido e então conseguir implementar com velocidade.”

Mas vale a pena ressaltar: desenvolvimento ágil não é o mesmo que ser apressado. Um processo ágil de desenvolvimento contempla etapas curtas e iterativas de planejamento, criação e teste, seguindo protocolos formais que ajudam na geração de valor.

Além disso, é importante contar com ferramentas e frameworks que possam simplificar a parte técnica do trabalho. E a solução mais poderosa disponível no mercado é o BLiP, plataforma criada e utilizada pela Take na construção de nossos chatbots.

O poder do BLiP para a construção ágil de chatbots

Um chatbot pode ter inúmeras aplicações, desde o papel centralizador de normas técnicas de processos na indústria até a venda automatizada de pizzas por mensagens de texto. Para todas essas possibilidades, é possível utilizar o BLiP para acelerar o desenvolvimento do software.

Com o BLiP, é possível estruturar, testar e publicar um chatbot em poucas etapas e com quase nenhum código escrito. A plataforma conta com ferramentas intuitivas para que mesmo quem não conhece de programação seja capaz de elaborar um chatbot simples. Como o Fábio afirma, “a plataforma acelera descobrimentos e aprendizados.”

por que usar o blip builder para construção ágil de chatbots

Interface do bot builder do BLiP, que permite a construção de chatbots sem código

Caso seja necessário realizar customizações específicas, também é possível contar com conteúdos de suporte para adaptar a solução de acordo com cada demanda personalizada. Nos planos Business e Enterprise da plataforma, esse suporte também acontece diretamente com a nossa equipe.

Outra vantagem singular do BLiP é a integração da plataforma com outras soluções cruciais para a implementação de um chatbot, como canais de publicação (Facebook Messenger, WhatsApp, etc) e provedores de inteligência artificial (Watson e LUIS).

“Um dos desafios para desenvolver um chatbot é a integração com múltiplas plataformas. Cada nova integração é uma API e a responsabilidade de cuidar de todas elas consome muito tempo dos desenvolvedores.”

O BLiP assume a responsabilidade de todas essas integrações e as suas atualizações, aliviando significativamente o investimento em desenvolvimento. As principais APIs já estão no BLiP, e são acrescentadas novas sempre que surge demanda do mercado.

Dessa forma, você precisa se preocupar apenas com a sua solução de comunicação e a aplicação prática do chatbot.

O momento certo de publicar

Depois de entender os melhores processos para conceber o seu bot, saber o timing correto de publicá-lo também é crucial.

Existem dois erros relativamente comuns de quem está começando a trabalhar com chatbots:

  • o primeiro deles é lançar apenas quando o produto estiver “pronto”;
  • e o segundo é acreditar que, uma vez publicado, o trabalho com o chatbot chegou ao fim.

Investir muito tempo tentando lapidar antes de lançar a solução é um desperdício. Na prática, só o contato com o público pode revelar o que realmente precisa ser aprimorado e quais são os ajustes que vão gerar valor real no produto.

Portanto, é mais inteligente realizar pequenas entregas rápidas em ciclos de produção curtos do que tentar prever todo tipo de situação em que o bot pode se meter — afinal, se ele foi feito para interagir com o público, os insights para sua evolução só virão dessa interação.

O ciclo da construção, gestão e evolução

O processo de desenvolvimento de um chatbot é contínuo e iterativo. Ele não termina no lançamento e continua acontecendo ao longo da vida útil do software. Por essa razão, é impossível falar de construção ágil de chatbots sem mencionar também sua gestão e evolução.

Por isso, temos mais dois artigos imperdíveis que vão explicar melhor todo o processo. Confira agora o de gestão e o de evolução de chatbots!

blip level up construção ágil de chatbots