Futuro dos aplicativos: os chatbots vão substituir os apps? Entenda essa tendência

futuro dos aplicativos

Por serem mais baratos e igualmente eficientes, provavelmente, os chatbots vão substituir aplicativos em seu reinado que começou em 2008, quando a Apple lançou a App Store junto ao seu iPhone 3G. Apesar disso, nem todos os apps serão substituídos, e o WhatsApp terá um papel importante no futuro dos aplicativos.
Nos primeiros anos, os usuários exploravam com curiosidade a infinidade de possibilidades que o mercado de aplicativos apresentava, tanto pelo encanto com as novas funções e interfaces visuais quanto pelas funcionalidades em si — que, até então, ou eram algo antes exclusivo de PCs ou algo totalmente inédito.
Mas, se por algum tempo inovação e apps caminharam juntos, hoje os aplicativos estão saindo dos holofotes para abrir caminho para novas tendências; e os chatbots, sem dúvida alguma, são uns dos candidatos à sucessão.
Neste artigo, explicaremos os fatores que nos levam a crer que os chatbots vão roubar os holofotes de alguns aplicativos e por que isso deve acontecer bem rápido! Confira todas essas informações sobre o futuro dos aplicativos, nos tópicos a seguir.

Futuro dos aplicativos: o fim de uma era?

Muita coisa mudou desde 2008, quando os apps começaram a se destacar na cena de tecnologia e inovação. Se antes era interessante ter um aplicativo para cada coisa, hoje os usuários querem o mínimo de complicações nos seus telefones. Afinal, o uso de apps deixou de ser uma novidade com o encanto inicial, tendo sido substituído pela necessidade de mais praticidade para o dia a dia corrido das pessoas.
No Brasil, uma pessoa utiliza, em média, 11 apps por dia. E apesar de ter 85 deles instalados, abre apenas 42 ao longo de um mês.
Os aplicativos mais populares, como Facebook, WhatsApp, Google Maps e Uber, dominam as preferências dos usuários, assim como as lojas: mais da metade da receita da App Store vem de apenas 20 apps.
Leia também: 4 aplicativos de chat mais usados do mundo e suas funções
Os aplicativos começam a deixar de ser uma possibilidade acessível de ampliar a presença digital para uma empresa, como eram no passado.
No presente e futuro dos aplicativos, muita coisa mudou, mas principalmente o usuário, que não quer mais baixar e armazenar um app diferente para cada atividade que vai executar.
Para uma empresa, portanto, desenvolver um aplicativo próprio até pode ser um bom negócio, mas é preciso analisar criteriosamente se ele será ou não útil para o usuário.
É nesse sentido que os chatbots poderão ganhar espaço, uma vez que, por meio de uma plataforma de chat, é possível que o usuário faça contato com diversas empresas e prestadores de serviços em um único aplicativo.

A ascensão dos chatbots

Apesar de já existirem há alguns anos, a implementação de chatbots para empresas está crescendo nos espaços deixados pelo futuro dos aplicativos, que ainda é incerto.
Para uma empresa, dependendo do objetivo da comunicação, pode ser muito mais vantajoso criar um chatbot que um aplicativo.
Além dos chatbots permitirem atualizações e evoluções com mais agilidade e facilidade — por funcionarem na dinâmica das conversas, desde a primeira interação já é possível obter feedbacks dos seus usuários para melhorias, os usuários não precisam passar por todo o transtorno de buscar e baixar um novo app para interagir com um novo negócio: é possível acionar um chatbot da mesma forma que se conversa com outro contato qualquer em uma plataforma de mensagens, como o Messenger, o WhatsApp e o Telegam.
futuro dos aplicativos

Em que casos os chatbots vão substituir aplicativos, ou não?

Nada é eterno, e quando o assunto é tecnologia e inovação, as mudanças acontecem bem rápido:

  • No começo dos anos 1990, o ICQ era a plataforma de chat mais popular na internet. Foi superado pelo MSN e caiu no esquecimento nos anos seguintes.
  • Por sua vez, o MSN desapareceu com a crescente popularização de plataformas como o Google Talk, hoje Google Hangouts.

O mercado de aplicativos já dominou o cenário, mas estão perdendo espaço — e com a crescente popularização dos chatbots, alguns correm risco de desaparecer.
Apesar disso, alguns apps não podem ser simplesmente substituídos por uma conversa, como é o caso do Uber. Isso porque ele tem outras diversas funcionalidades, como encontrar motoristas nas proximidades do local em que o usuário se encontra e traçar rotas.
Além disso, não podemos esquecer que os chatbots também funcionam em apps de mensagem, como chatbot para WhatsApp e Messenger.

O que o WhatsApp tem a ver com essa transformação?

Desenvolvemos uma pesquisa que chegou ao impressionante resultado de que 96% das empresas desejam ter uma conta oficial do WhatsApp para empresas. Além disso, também vimos que 80% dos empresários entrevistados já utilizam esse canal para trocar mensagens com os seus clientes.
Como apontamos, cada vez mais, os usuários de smartphones estão rejeitando a ideia de ter muitos apps que só ocupam espaço em seus aparelhos e essa é uma das razões para o futuro dos aplicativos estar comprometido.
Um usuário pode ter instalado em seu celular um aplicativo para fazer pedidos de lanches em um delivery e também um app para fazer reservas em um hotel. Acontece que não é todos os dias que ele pedirá pratos na lanchonete, nem buscará por hospedagem.
Por isso, para esse usuário, vale muito mais a pena conversar com ambos os estabelecimentos pelo WhatsApp, para que ele possa fazer seus pedidos e reservas sempre que necessário, sem ter que baixar mais um aplicativo em seu celular para isso.
Dentro desse contexto, o WhatsApp Business API pode fazer com que as empresas tirem proveito dessa realidade.
Tendo esse canal oficial de comunicação com os seus clientes, é possível centralizar os diálogos que o usuário tem com a sua empresa e outros serviços que utiliza, encantando seus clientes com automação de conversas via bot.
Também é importante ressaltar que, ao usar um chatbot, não necessariamente todos os questionamentos de clientes podem ser respondidos pelo software. Em alguns casos, quando forem feitas perguntas mais específicas sobre alguma condição, os atendentes humanos podem intervir e prestar o esclarecimento de forma mais específica. Para entender essa relação indicamos que acesse o artigo; “Como aliar atendimento humano e chatbots melhora a experiência do cliente”. 
E então, qual será o futuro dos aplicativos? Será que os chatbots vão substitui-los? Nós apostamos que sim para alguns casos, pois a dinâmica conversacional é uma forte tendência do mercado.
Obviamente, como explicamos, nem todos os aplicativos do mercado poderão ser substituídos pelas ferramentas de chat, mas a tendência é que elas se tornem cada vez mais a preferência das pessoas.
E agora? Percebeu como pode ser importante criar um canal em formato de chatbot para a comunicação da sua empresa com clientes? Que tal ter o apoio de um time especializado para auxiliar a sua empresa a construir um chatbot?
Take é uma empresa especializada que atua há 20 anos com tecnologia móvel e que pode ajudar o seu negócio a ter um excelente serviço de chatbot, seja com chatbot no Messenger do Facebook ou chatbot no WhatsApp business ou em outros canais de mensagem do mercado. Entre em contato com a gente e tire suas dúvidas!
Se você deseja se aprofundar antes de procurar uma solução como a Take, indicamos que leia também o artigo; “Chatbot para WhatsApp ou Facebook Messenger: qual devo usar na minha estratégia de mobile marketing?”
Leia também:

Ebook: 5 aplicações surpreendentes dos chatbots

Chatbot para WhatsApp é uma realidade? SIM!

Por usar um chatbot vai te ajudar a fidelizar seu cliente

0 comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: