Big Data no trabalho: como o uso de dados pode alavancar os resultados no marketing

big data no trabalho

Desde a criação da internet, muitos dados circulam pela rede. Hoje, a quantidade de informação permite o uso da big data ao seu favor no trabalho. Saiba como! 

No dia 29 de outubro de 1969 foi estabelecida a primeira conexão de internet. Naquela época poucos imaginavam que estavam diante de um marco histórico; uma revolução na forma como vivemos

A internet evoluiu e se tornou fundamental para todos – desde pessoas a empresas. , Dentro dela encontramos um mundo de possibilidades e podemos estar em qualquer lugar do mundo com poucos cliques

Com uma imensa gama de informações disponíveis na rede, a internet exige algumas contrapartidas de seus navegantes, que são os dados dos usuários. Vai por mim: os dados são o novo petróleo

A quantidade de dados e informações que disponibilizamos na internet todos os dias é grande. Somente acessando a web, geramos dados que são capazes de entender nossos gostos: preferências musicais, estilo de vida, perfil de compra, etc. 

Pense no dia de hoje: quantas curtidas você já deu? Quantos sites visitou? Visualizou algum produto que teve interesse? A todo momento esses nossos comportamentos estão gerando muitos dados sobre o seu perfil. 

Sabemos que informações são um bem extremamente valioso, principalmente para empresas que querem se destacar no mercado. Diante dessa necessidade de utilizar esses dados de maneira estratégica, surgiu o big data no trabalho. Vem com a gente para saber como usar! 

Mas o que é big data?

Por si só, dados não dão muitos indicativos estratégicos. Em meados de 2015, o Google iniciou o que hoje chamamos de big data.

O big data nada mais é que a aplicação de tecnologia na tarefa de coletar, armazenar, interpretar e combinar grandes volumes de dados para gerar informações usadas em decisões estratégicas, conhecimento e, em última instância, inteligência

Parece complexo, mas hoje ele está presente em quase todos os setores e segmentos. A partir dele, organizações ao redor do mundo estão conseguindo conhecer cada vez mais seus consumidores e, com isso, antecipando tendências de mercado. É possível até mesmo prevenir doenças e combater o crime.

O big data se baseia em uma estrutura organizada por 5 v’s. São eles:

  • volume: relacionado a grande quantidade de dados gerados;
  • variedade: as fontes de dados são muito variadas, o que aumenta a complexidade das análises;
  • velocidade: devido ao grande volume e variedade de dados, todo o processamento deve ser ágil para gerar as informações necessárias;
  • veracidade: a veracidade está ligada diretamente ao quanto uma informação é verdadeira.
  • valor: este conceito está relacionado com o valor obtido desses dados, ou seja, com a “informação útil”.

Como o big data pode ser usado em estratégias de marketing? 

Com o avanço da internet, o marketing se tornou essencial para marcas que querem sobreviver em um mercado extremamente competitivo. Mais do que ter um time de marketing, é preciso uma boa estratégia e um bom entendimento da sua proposta de valor que será oferecida aos seus clientes. 

Hoje, o maior desafio do marketing é entender a fundo os seus consumidores; suas preferências e necessidades e antecipar tendências de mercado. Acho que, ao chegar até aqui, você já teve uma ideia de como o big data no trabalho pode ajudar, certo? 

Utilizando plataformas adequadas de business intelligence, o time de marketing irá conseguir entender profundamente seus consumidores e absorver a informação que eles produzem, transformado em indicativos para as estratégias de comunicação e marketing.

O que pode ser feito com os dados?

Muitas dessas informações podem ser utilizadas para adequação na linguagem da marca, posicionamento dela nas redes sociais, desenho de novos produtos e uma série de outras análises. 

Além disso, a velocidade e clareza o big data utilizada no trabalho irá ajudar a tomar decisões de maneira mais rápida e assertiva. Estes são requisitos primordiais quando falamos de organizações exponenciais. 

Imaginem analisar o perfil de compra de um cliente. Que perfil de cliente mais se repete? Quais ações desse perfil mais se repetem? Qual tipo de produto ele mais se interessa? Vamos dar um exemplo: “jovens entre 18 e 25 anos tem preferência por carros zero KM de cores pretas, porém normalmente não realizam a compra destes veículos por falta de dinheiro” 

A partir dessa afirmação, existem inúmeras estratégias que podem ser tomadas. Elas vão desde a adequação da comunicação para um público mais velho quanto a estratégias de financiamentos mais simplificadas. 

Em qual momento implantar?

Não existe uma regra para começar a trabalhar com business intelligence em sua empresa. Mais do que momento ideal, é preciso entender se tais informações vão realmente ser importantes para estratégia naquele momento.

Não faz sentido gastar energia colendo um grande número de informações, tratando e relacionando todas elas se aquilo não irá significar nada. É preciso entender quais dados são relevantes e quais informações são interessantes. Esse é o primeiro passo: comece simples, aprenda com seus dados, explore novas possibilidades de análise. 

Negligenciar os dados é um passo para o fracasso, usufruir deles é um passo rumo ao sucesso. E você está pronto para de tornar data drive? Aproveite de tudo que o big data no trabalho pode fazer por você e sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: