Explorando os aplicativos de mensagem nas corporações

aplicativos de mensagem nas corporações

Em um passado não muito distante, as vendas “porta à porta” eram consideradas as mais personalizadas e inovadoras da época. O tempo passou, mas nos dias de hoje esta mesma estratégia ainda é usada pelos aplicativos de mensagem para conquistar sucesso e os consumidores.

Enquanto o vendedor ia até a residência do cliente, conhecia intimamente seu perfil, criava empatia e finalizava a venda aceitando um cheque, por exemplo, nos dias de hoje empresas conversam com seus clientes em ambientes amigáveis como o Facebook Messenger, usam sistemas de CRM para conhecer o perfil do cliente e finalizam a venda oferecendo diversas opções de pagamento.

Veja neste post como os aplicativos de mensagem são usados nas corporações atualmente e como sua receita simples para potencializar a experiência de usuário também é a mais eficiente:

Facilidades que os aplicativos de mensagem oferecem para os usuários

Os aplicativos de mensagem são um dos meios preferidos dos usuários para se comunicar com amigos e família. Mas eles oferecem mais do que uma linguagem já conhecida por usuários do Telegram, Facebook Messenger e do próprio WhatsApp.

Eles permitem que as pessoas usem apenas uma conta para interagir com diversas empresas e serviços, por exemplo. A necessidade de usar a memória dos smartphones para aplicativos de diversas empresas deixa de existir e torna o contato muito mais simples e concentrado.

Além disso, os aplicativos de mensageria que usam bots e chatbots expandem os formatos de mensagens e permitem que os usuários recebam texto, áudio ou até vídeos que solucionam as demandas levantadas.

Essas facilidades tornam toda a experiência muito melhor e mais eficiente. Em vez de buscar informações em um canal e concluir a venda em outro, seu cliente pode realizar todo o processo de forma inteligente em um só canal.

Benefícios da comunicação automatizada para as corporações

Comunicações automatizadas e inteligentes que usam inteligência artificial ou bots baseados em regras permitem que as empresas reduzam seus custos de atendimento e agreguem valor as relações com seus consumidores.

Os chamados chatbots têm diversas funcionalidades para as corporações e podem tornar o FAQ mais dinâmico, assim como realizar vendas e atendimentos de apoio ao call center.

Usando sua crescente base de dados, os chatbots podem solucionar as demandas de baixa ou média complexidade de um call center e diminuir o número de ligações atendidas em um SAC, por exemplo. Considerando que os SAC devem oferecer serviços com número 0800, diminuir o número de ligações representa uma redução nos custos de telefonia.

Tipos de chatbots existentes no mercado

Além das suas diversas aplicações, os chatbots também têm diferenças em suas concepções: há os baseados em regras e em inteligência artificial.

Chatbots baseados em regras

Os chatbots baseados em regras funcionam a partir de serviços e informaçöes  previamente mapeados. Assim, são desenhados fluxos de conversa que guiam o cliente para a informação ou o serviço desejado. 

Chatbots com inteligência artificial

Os chatbots de inteligência artificial usam além das informações imputadas previamente em seus bancos de dados, outras que ele adquire em seus atendimentos, aprimorando a qualidade de forma automática.

Essa distinção, porém, não torna um chatbot mais eficiente do que o outro, mas sim demonstra que sua implantação deve considerar as expectativas da corporação na atividade em que ele irá executar. Vale lembrar que a solução permite que um cliente com uma demanda complexa não prevista no bot seja repassado a um atendente, mantendo uma boa experiência de atendimento.

Um chatbot pode ser essencial em empresas que estejam adotando o SAC 2.0, por exemplo, pois pode dar continuidade a um atendimento através do Facebook Messenger a um cliente que tenha buscado as redes sociais da empresa para fazer uma reclamação.

Leia mais:

 

SAC 2.0: saiba o que é e conheça os principais benefícios

Os principais pontos para entender o fenômeno chatbot

Pesquisa sobre chatbots: os consumidores estão preparados?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: