Mobile Payment: o que é e como está impactando o mercado?

Os dispositivos móveis, especialmente os smartphones, tornaram-se parte fundamental da vida das pessoas. Usamos o telefone todos os dias, praticamente o tempo todo. Por isso o mobile payment surgiu de forma natural, quase que esperada pelos usuários.

Hoje, os pagamentos realizados via mobile são atividades corriqueiras, algo que já foi tão inserido no nosso dia a dia, que é como se ele sempre existisse. 

Mas essa tecnologia, além de facilitar (e muito) a vida do usuário, causou impactos significativos no mercado brasileiro e também mundial. Continue a leitura e saiba o que mudou com o advento do sistema de pagamento móvel.

O que é Mobile Payment

O mobile payment, também conhecido como dinheiro móvel, carteira móvel e transferência de dinheiro móvel, é todo tipo de transação financeira feita digitalmente, por meio de um aparelho móvel

Segundo pesquisa realizada pela Distrito, “acompanhando o início da popularização dos smartphones no Brasil em 2011 e entrada do 4G, também surgiram as soluções de meios de pagamento mobile”. 

E, com a crescente utilização dos celulares e a facilidade que os apps proporcionam aos usuários, o mobile payment foi desenvolvido para que os smartphones tivessem mais essa funcionalidade: realizar transações financeiras.

Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), “Desde 2013, internet e mobile banking, juntos, assumiram a liderança na preferência do consumidor para suas operações bancárias em detrimento de outros canais, como agências, ATMs, correspondentes e contact centers”. Com isso, as operações financeiras via smartphone tendem a permanecer e evoluir cada vez mais, pois a aceitação dos usuários é perceptível

Essa forma de pagamento só pode ser implementada a partir do século XXI, pois foi neste tempo que as tecnologias estavam preparadas para garantir a segurança da realização dessas atividades monetárias via telefone.

Aplicabilidades do Mobile Payment

Com essa funcionalidade, é possível fazer pagamento de diversas naturezas e em inúmeros estabelecimentos. A maioria das plataformas de mobile payment depende apenas de um dispositivo móvel e internet para realizar operações.

Com isso, é possível imaginar a atuação desse sistema de pagamento em todos os estabelecimentos, de grandes a pequenos negócios, que dispuserem a aderir tal tecnologia em suas rotinas financeiras. 

Impacto no mercado

O setor de meios de pagamento sofreu um grande efeito no que diz respeito a investimentos. As startups financeiras — as chamadas fintechs — sofreram um salto de crescimento e recebimento de capital para o desenvolvimento dessas tecnologias.

Não somente empresas brasileiras, mas também grandes instituições internacionais como: Google Pay, Mercado Pago, Paypal e outras, também ganharam espaço no ecossistema econômico brasileiro.

Essas empresas vieram com uma solução de pagamento digital a qual não exigia que os usuários possuíssem uma conta bancária. O que fez com que a movimentação monetária do país tivesse grande aumento. Afinal, mais pessoas puderam ter a possibilidade de fazer pagamentos via mobile, de forma fácil e sem enfrentar a burocracia dos bancos tradicionais.

Outra consequência trazida pela ascensão da modernização nesse mercado é o investimento em tecnologias para criar novos serviços e produtos digitais e ainda, fazer com que os sistemas já existentes fiquem cada vez melhores e mais desenvolvidos.

Portanto, os efeitos não atingem apenas os consumidores, mas também comerciantes de todos os setores, trazendo um tipo de relação de compra e venda fácil, prática e segura.

mobile payment

Formas de pagamento digital

Depois do advento dessa tecnologia, algumas formas de pagamento, que já existiam, foram disponibilizadas dentro de apps e novas formas de pagamento foram surgindo nos meios digitais. Abaixo estão algumas delas:

TED

A sigla TED significa Transferência Eletrônica Disponível, é um modo de realizar pagamentos comumente utilizado, especialmente por bancos tradicionais, na qual o usuário têm a possibilidade direcionar recursos para uma outra conta.

Dependendo da instituição financeira a qual essa operação é efetuada, ela pode ou não ser tarifada. Esse tipo de transferência bancária não tem limite de quantia a ser enviado e o destinatário recebe o valor no mesmo dia, desde que ela seja feita em dia útil antes das 17 horas.

PIX

Neste ano de 2020, o Banco Central anunciou uma nova forma de fazer transferências entre bancos, o chamado PIX. Essa operação eletrônica foi criada para tornar os pagamentos mais rápidos e práticos.

Ao contrário do TED, o PIX é um tipo de transferência bancária que não possui nenhum tipo de restrição quanto a dia e horário da operação, ou seja, ele pode ser efetuado em qualquer dia da semana e em qualquer horário do dia, que o receptor receberá o pagamento em tempo real.

Além disso, nenhuma tarifa será cobrada para realizar esse processo para pessoas físicas, mesmo que sejam feitas entre bancos diferentes. Em contrapartida, para organizações financeiras que oferecem o PIX, será cobrado R$0,01 a cada 10 transações.

Essa funcionalidade estará disponível a partir de novembro de 2020.

WhatsApp Pay

Outra novidade que está aguardando a liberação do Banco Central é o WhatsApp Pay. Outra ferramenta de pagamento via app, que oferece praticidade e rapidez para enviar e receber dinheiro. O app, que pertence ao facebook, já tem essa funcionalidade criada.

No próprio site do aplicativo, a função é descrita da seguinte forma: “o usuário fornecerá os seus dados bancários, de uma conta com cartão de débito, as informações serão verificadas e adicionadas ao aplicativo.” Depois disso, você consegue fazer pagamentos por meio de conversas de forma fácil e sem complicações.

Esse recurso ainda não foi liberado no Brasil, segundo o artigo divulgado pela InfoMoney, o presidente do Banco Central afirmou que a proposta do Facebook é “grande demais para ser acelerada”. Em nota concedida à revista, o Facebook declarou que “apesar do diálogo constante com o BC, ainda não há previsão de liberação de pagamentos no WhatsApp”.

Apple Pay

O Apple Pay é mais um mobile payment. Esse, desenvolvido pela Apple Inc para que seus usuários façam transações financeiras por meio de seus aparelhos móveis. O objetivo da empresa foi substituir cartões de crédito físicos por uma carteira virtual, dentro dos dispositivos Apple.

A ferramenta funciona com a integração de contas bancárias, cartões de crédito e débito. Também disponibiliza de um sistema de segurança o qual não armazena senhas no aparelho, mas em um chip separado, de forma criptografada.

Samsung Pay

Essa carteira digital tem grande semelhança com o sistema da Apple, porém funciona para os aparelhos da Samsung. O aplicativo usa cartões compatíveis com sua tecnologia e cria números de token no momento da compra, para garantir a segurança da transação.

Os pagamentos via mobile, sem dúvida, revolucionaram a forma com a qual lidamos com a movimentação de dinheiro. São muitas possibilidades de fazer transferências e esse mercado tende a crescer e estar cada vez mais inserido em nossas relações de pagamentos.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre Mobile Payment? Confira também quais informações podem ser compartilhadas via chatbots para bancos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: