Como pequenos negócios podem sobreviver à crise do COVID-19

pequenos negócios crise covid-19

O ano de 2020 começou com tempestades – literal e figurativamente. Enfrentamos, no Brasil, um período de chuvas intensas em algumas regiões e, logo depois, a tempestade da crise do COVID-19, que causou grandes impactos em âmbito mundial.

Essa nova realidade abalou estruturas tanto na esfera pessoal como no profissional. E, embora todos tenham sido afetados, os pequenos negócios, em especial, têm enfrentado um período com muitas dificuldades. Muitas delas com danos permanentes.

Efeitos da crise do COVID-19 em pequenos negócios

Empresas de todos os portes foram, de alguma forma, afetadas pela crise do COVID-19. Porém, de acordo com a assessoria econômica da Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo de São Paulo (FecomercioSP) em função das medidas de prevenção ao vírus, como isolamento social e quarentena, as empresas de menor porte tendem a ser as mais prejudicadas.

O SEBRAE destaca que alguns segmentos do mercado foram diretamente afetados: “varejo, moda, serviços de alimentação, construção civil, beleza, logística e transporte, oficinas e peças automotivas, serviços de saúde, serviços educacionais, turismo, artesanato, indústria de base tecnológica, pet shops e serviços veterinários e economia criativa (eventos e produções)”, uma lista para tirar o sono de qualquer empreendedor.

Além disso, segundo artigo da UOL, A Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) constatou que o setor do comércio e serviços sofrerá um impacto negativo superior a R$ 100 bilhões nos próximos meses, em virtude da crise do COVID-19 em pequenos negócios.

As notícias assustam, os números trazem apreensão. Mas, nem tudo está perdido. Existem algumas possibilidades para minimizar os efeitos da pandemia sobre o seu negócio. Siga a leitura e descubra algumas delas.

10 dicas para pequenos negócios sobreviverem à crise do COVID-19

Sobretudo, é importante fazer um esforço para manter sua inteligência emocional equilibrada. Nesse momento, é fundamental não se abalar mentalmente e pensar com clareza sobre o que pode ser feito a partir de agora.

Separados em quatro grandes tópicos: Operacional, Marketing e Vendas, Contenção de Gastos e Recursos Governamentais, esse artigo vai apresentar 10 ideias para que seu pequeno negócio sobreviva nesse tempo de crise.

1. Operacional

Trabalho remoto

Trabalhar remotamente não é uma grande novidade. Apesar de algumas empresas já tivessem aderido à essa prática antes da pandemia, outras ainda eram resistentes para adotar essa realidade. Isso acontece porque, muitas vezes, não sabem lidar com as implicações que acompanham esse modelo de trabalho. 

Porém, no momento de necessidade é preciso dispor de uma mente aberta para essa nova fase.

Uma dica para que esse processo seja realizado da melhor forma possível, é o uso de ferramentas que auxiliam em uma boa comunicação interna, para que haja o mínimo de “ruído” e o seu negócio funcione de forma organizada. 

Para isso, existem opções de plataformas gratuitas de comunicação como: Google chats/ Hangouts, Slack, Telegram, Skype, entre tantos outras plataformas online que estão disponíveis para essa finalidade; é só escolher qual melhor se adapta a sua necessidade e organizar as demandas com o auxílio delas.

Outra sugestão, é o uso de chatbot na comunicação interna. Geralmente essa ferramenta é mais popular para comunicação com clientes. Entretanto, os chatbots podem ser um grande aliado para facilitar e agilizar muitos comunicados dentro das empresas. Logo, vale a pena avaliar a possibilidade de fazer uso desse dispositivo.

Comunicação constante com clientes

Além da comunicação interna, as empresas devem se atentar em manter a comunicação com os seus clientes. Pesquisas mostram, que clientes sentem-se mais confiantes quando estão por dentro do andamento de seus projetos

A  Harvard Business Review afirma que “quando os clientes são separados do trabalho que está sendo realizado nos bastidores para atendê-los, eles apreciam menos o serviço e depois valorizam menos o serviço”.

Ou seja, uma comunicação transparente e ágil é essencial. E para ajudar o seu pequeno negócio com essa tarefa, o WhatApp Business é um meio altamente efetivo. Além de ser o APP mais utilizado e preferido pelos clientes, existe a possibilidade de criar automações de respostas, para que seus clientes não fiquem sem retorno. Minimizando assim a sensação de que estão sem informação.

Flexibilidade 

Nenhum de nós esperava por essa interrupção em nossas rotinas. Com isso, não estávamos preparados ou mesmo treinados para viver em distanciamento social. Todavia, a crise do COVID-19 não pode interromper por completo o funcionamento da sua empresa. 

Logo, é necessário agora uma flexibilidade especial. Principalmente, no que diz respeito às pessoas que precisam continuar realizando suas funções. Pensando em horário de trabalho, às conexões de internet,que podem oscilar durante o dia, reuniões, as quais precisam ser feitas via videoconferência, etc. 

Todas essas instabilidades podem causar aborrecimentos. Desse modo, ter flexibilidade e compreensão é uma dica valiosa.

Higiene 

Apesar de a orientação das autoridades de saúde seja para ficarmos em casa, sabemos que existem alguns segmentos de mercado que não podem deixar de ir até o local de trabalho. 

Para esses casos, a limpeza/ esterilização do local onde as pessoas precisam circular, deve ser excessivamente rigorosa. Não somente os cuidados com a higiene devem ser cumpridos, mas também comunicados. 

É importante que as pessoas saibam que elas estão em um lugar seguro e que mantenham também o seu compromisso pessoal de higienização. Essa é a melhor medida no combate ao coronavírus. 

2. Marketing e vendas

Campanhas publicitárias online

Lidar com o mundo online já faz parte da rotina empresarial há muito tempo. Mas caso seu pequeno negócio ainda não esteja atuando na internet, a crise do COVID-19 não deixa outra opção.

E, claro, as estratégias publicitárias devem seguir nesse fluxo com ainda mais intensidade agora.

Uma sugestão de estratégia comercial interessante é o marketing conversacional com a utilização de chatbots. Uma ferramenta que utiliza de tecnologias como o Adlingo, por exemplo, que permite incluir um anúncio gráfico interativo dentro de qualquer site ou aplicativo, permitindo a interação do usuário através de mensagens.

Você consegue divulgar o seu produto/ serviço e paralelamente mantém uma conversa com o seu público já no primeiro contato. 

Outra alternativa que pode ser adotada, é aproveitar dos seus recursos que você já dispõe para novas demandas do mercado. A inovação e novas soluções podem surgir – e geralmente surgem – em momentos de dificuldades. 

Voucher para serviços futuros

Muitas empresas têm feito uso dessa prática e vale ressaltar essa dica. Para pequenos negócios prestadores de serviço, ao invés de desmarcar as atividades, criaram a possibilidade de remarcação e também de venda antecipada para serviços futuros.

Dessa forma, o cliente compra o serviço antecipado – seja com um desconto ou benefícios pré estabelecidos – a receita entra antecipadamente para a empresa e o cliente tem o direito de utilizar esse voucher no futuro, quando tudo voltar à normalidade. 

Planejamento a longo prazo

Por mais que a agilidade em se adaptar à realidade da crise seja uma necessidade, também é fundamental que haja um planejamento para o futuro

Especialistas financeiros defendem que é crucial elaborar uma estratégia durante a crise “como se fosse um plano de negócio”. Certamente, empresas que ajustam seus interesses imediatos simultaneamente aos seus propósitos futuros, sairão dessa pandemia com um passo à frente da concorrência.

Portanto, essa é uma recomendação para que tanto agora, quanto depois da crise, seu pequeno negócio não fique sem um propósito.

3. Contenção de gastos 

Negociação de contratos

Uma possibilidade existente, da qual muitos especialistas financeiros indicam: negociação de contratos com fornecedores

Se o seu negócio está passando por turbulência, possivelmente o do seu fornecedor também está. Por isso, sugerir ajustes nas condições de alguns contratos, realinhar algumas parcerias, pensar em soluções que beneficiem ambos os lados é um exercício completamente plausível e possível de ser feito.

Portanto, converse com os seus fornecedores e ajuste seus gastos.

Menos operacional mais habilidades estratégicas

Reduzir custos é um tipo de meta contínua. Porém, muitas vezes, esse objetivo está atrelado a outros fatores que deixamos de considerar. 

Quando muitos recursos são investidos em pessoas dedicadas à atividades operacionais, por exemplo. 

Ocorrendo essa desarmonia de investimento, perde-se muito talento humano que poderia estar direcionando para tarefas de cunho estratégico, que estão diretamente relacionadas ao crescimento do seu negócio.

Por isso, convém que essas funções “mecânicas” sejam minimizadas. Algumas maneiras de diminuir o tempo gasto nessas atividades são:

Essas são algumas dicas, que podem ser executadas para um melhor aproveitamento das competências da sua equipe.

4. Recursos Governamentais

A partir do dia 20 de março, segundo o ConJur, o senado aprovou  o decreto que reconhece o estado de calamidade pública enfrentado pelo Brasil em virtude da crise do COVID-19. 

Como resultado dessa pandemia, alguns estabelecimentos foram fechados em diversas regiões do país. 

Todavia, as autoridades governamentais concederam medidas que flexibilizam as leis trabalhistas. De acordo com entrevista cedida ao G1, as possibilidades apresentadas pelo SEBRAE foram:

  • adoção de teletrabalho ou home office;
  • antecipação de férias individuais e concessão de férias coletivas;
  • aproveitamento e antecipação de feriados;
  • ampliação do uso de banco de horas;
  • prorrogação do pagamento do Simples e do recolhimento do FGTS;
  • prorrogação do pagamento de dívidas e acesso a crédito do BNDES;
  • redução de jornada com corte de salário e suspensão de contrato;
  • linha emergencial para custeio de folha de pagamento;
  • limite de crédito com recurso de fundos constitucionais;
  • linha de crédito com recurso de fundos constitucionais;
  • linha de crédito da Caixa para MEIs e pequenas empresas;
  • negociação com fornecedores e revisão de contratos.

A descrição das medidas listadas acima estão devidamente esclarecidas neste artigo.

Independentemente de qual tópico você escolha atacar, lembre-se de não perder a expectativa num futuro melhor e conte com a Take para encontrar a melhor forma de otimizar e transformar a forma de comunicação do seu negócio. Entre em contato agora mesmo com um dos nossos consultores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: