Como o Business Origami ajudou no direcionamento da evolução do BLiP?

business origami blip take

O conceito de contato inteligente está se tornando uma realidade a cada dia que passa, e nossa plataforma não está ficando para trás. Neste post, apresentamos como o Business Origami já nos ajudou nessa evolução!
 
Desde as primeiras reuniões da Take, Contato Inteligente (ou Smart Contact) é um termo que nosso CEO faz questão de mencionar. Ter uma comunicação centralizada, inteligente e transparente é essencial e estratégico para aprimorar o relacionamento das marcas com seus clientes.
Com o tempo, o conceito amadureceu, e a Take se posicionou como pioneira em contatos inteligentes. Foi daí que surgiu um grande desafio para o BLiP: ser, também, uma plataforma mundial de construção, gestão e evolução de contatos inteligentes.
Nosso time de design foi mobilizado para idealizar essa experiência dentro da plataforma, seguindo nossos princípios e fazendo com que a mudança fosse estruturada de forma ágil, incremental e amigável para nossos usuários.
Baseados no duplo diamante, um dos frameworks mais conhecidos do design thinking, nosso primeiro passo foi imergir em nosso contexto para poder mensurar o nível da mudança na plataforma.

business origami duplo diamante

A escolha da ferramenta-chave

Diante desse desafio, nos conhecer e entender como nosso ecossistema funciona tornou-se muito necessário.
Como funcionamos? Com quem interagimos? Como o conceito de contato inteligente pode impactar nossos usuários e nosso posicionamento no mercado?
Para responder a essas perguntas, utilizamos a ferramenta que permitiu agilizar o processo de imersão e compreender nossa complexidade: O Business Origami.

Detalhando o Business Origami

Business Origami é uma ferramenta de mapeamento de sistemas e interações do momento atual de um produto ou serviço.

Criada por designers da Hitachi, o Business Origami gera uma visualização do envolvimento de um produto ou serviço com seu ecossistema. Com quais áreas ele se comunica? Quais são as barreiras envolvidas em todo processo, desde a qualificação de um lead até a performance do produto? E dada essa visualização, como transformamos essas barreiras em oportunidades? Essas são apenas algumas das perguntas que ele pode responder.

Elementos que compõem o Business Origami

business origami ferramentas

O Canvas

O canvas é uma superfície plana nos quais os cards serão posicionados e as áreas e interações representadas. Essa superfície deve (de preferência) poder ser apagada, como um quadro branco. Se não for possível, utilize uma mesa forrada com papel.

As Áreas

São limites que representam contextos específicos no canvas. Itens na mesma área interagem de forma mais direta.

As Interações

São “setinhas” que conectam áreas no canvas, representando interações entre elas.

Cards de Representação

  • Pessoas

Representam indivíduos ou grupos relevantes no processo.

  • Coisas

São objetos com os quais as pessoas interagem. Algumas representações são mais básicas, como veículos, ferramentas ou tecnologias de comunicação.

  • Lugares

São representados como ambientes internos (uma casa) ou externos (um parque).

Cards de Interação

  • Barreiras

Barreiras são quaisquer dificuldades encontradas na interação entre áreas. Podem ser de natureza processual, comunicativa, etc.

  • Troca de valor

Toda relação precisa de equilíbrio para ser saudável. Assim, entende-se que uma troca de valor ocorre quando uma área fornece valor à outra e vice-versa.

Momento da imersão: quem somos?

Estruturamos o workshop entendendo quais eram os perfis que fazem parte do nosso ecossistema, para que cada um pudesse representar sua própria área. Convidamos integrantes do time que são especialistas em mercado, atendimento humano, inteligência artificial, analytics, processos e plataforma.
Após a introdução da ferramenta, fizemos pequenos exercícios para contextualizar nossos convidados e ajudá-los a relembrar de seus processos no dia-a-dia. Em seguida, pedimos para que cada um representasse seus cards de Pessoas, Coisas e Lugares. Posicionamos os cards no canvas e as áreas começaram a se formar naturalmente. Nomeamos e conectamos as áreas e, para finalizar, imergimos nas interações através dos cards de barreiras e trocas de valor.

business origami resultados

O que foi retirado disso tudo?

Após a realização da dinâmica, tivemos uma fotografia do estado atual da Take e do BLiP, o que nos proporcionou:

  • visualizar os ecossistemas que nos compõem e suas relações de forma mais clara;
  • prever falhas e barreiras em processos e projetos futuros;
  • mensurar o nível de impacto de mudanças futuras;
  • transformar barreiras em trocas de valor entre as partes.
business origami equipe take blip
Nossa equipe e resultados ao final do Business Origami

Próximos passos: Lean Inception

No próximo post, falaremos sobre o Inception, método que nos auxiliou a definir o escopo, o nível da mudança e alinhar expectativas com o time. Até lá!
Se você gostou do conteúdo, aproveite para conhecer a plataforma BLiP. Tem muita coisa bacana vindo por aí! 😉


fabi e fefo post business origami blipFabiana Kauder e Fernando Lima
UI e UX Designers da plataforma BLiP na Take

Leia mais:

Dentre tantas plataformas de bots, por que o BLiP?

Treinamento de Conversation UX Design no Google: como foi e o que aprendi

Ética e design de conversas: humanize conversas sem confundir o usuário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: