O match entre Take e candidato(a) na Entrevista de Cultura

A entrevista de cultura é super importante para a regulação de clima e tem posição estratégica de fit no processo de contratação da Take. Entenda agora como funciona essa etapa e por que ela é tão relevante pra gente!

 

A cultura da Take é parte importante da rotina de quem trabalha aqui. Temos uma gestão alinhada a partir dos nossos valores, pois são eles que vão garantir um norte para orientar nossas ações e dar autonomia nas decisões. Por isso, temos esse desafio de assegurar que nossos valores estejam sendo vividos no dia-a-dia da melhor forma possível.

Como você pode imaginar, isso não é fácil, sobretudo considerando nossa realidade hoje: expansão e crescimento rápido. Assim, para garantir esse alinhamento, criamos estratégias que reforçam esse movimento entre Take.seres e propiciam sua perpetuação. Saiba mais sobre como fazemos a gestão por valores aqui. 

Uma dessas estratégias é garantir o fit cultural dos novos Take.seres, apelido carinhoso que usamos para falar dos nossos funcionários. Para essa avaliação, estruturamos todo o processo seletivo de forma a garantir não apenas conhecimento técnico, mas também alinhamento comportamental, tendo como última etapa a entrevista de cultura. 

Qual o objetivo da entrevista de cultura?

A entrevista de cultura tem papel super importante na garantia dos valores no dia-a-dia da Take. Ela funciona de maneira estratégica no processo de seleção e, mesmo com a grande necessidade de mais talentos, já deixamos de contratar profissionais excelentes em termos técnicos em prol de garantir o alinhamento dos valores.

Portanto, o objetivo é confiar que, na Take, todos estamos seguindo para a mesma direção, mesmo que optando por diferentes caminhos.

E como isso funciona na prática?

A pessoa candidatada é entrevistada por três Take.Seres de áreas diferentes de qualquer especialidade, como desenvolvedores, designers, vendedores… todas as pessoas da empresa podem participar dessa etapa. 

Não é interessante focar só em uma parte técnica, já que os entrevistadores não vão saber necessariamente algo sobre a especialidade. Nesse momento, priorizamos uma apresentação mais pessoal, queremos conhecer a família, os momentos mais importantes, hobbies, sonhos e outras informações que quiser trazer ao se apresentar. 

Para a pessoa, é legal isso ficar muito claro, já que ainda é visto com muita desconfiança estar em uma entrevista de emprego em que você não precisa se provar, apenas se apresentar enquanto você mesmo.

Fazemos uma seleção de perguntas com as quais procuramos entender mais genuinamente o candidato ou candidata, mas sempre embasando nossa prática em nossos valores e em como trabalhamos. Não é nosso objetivo fazer juízo de valor, se é bom ou ruim — por isso, não gostamos de perguntas que soem como curiosas e sem finalidade objetiva ao processo seletivo. Nosso intuito é propiciar um clima agradável para a pessoa conseguir ser ela mesmo, e que ela se sinta confortável em apresentar-se assim.

Como os Take.seres são preparados para isso?

Garantimos o treinamento dos Take.Seres para avaliar nossos valores em nossos candidatos e candidatas. Ele é necessário para atingirmos nossos objetivos respeitando essas pessoas.

Isso se torna necessário para os Take.Seres entenderem o que estamos avaliando nessa entrevista. Não queremos que a contratação seja baseada em identificação pessoal, “feeling”ou especulações. Os métodos de avaliação precisam estar claros, serem o mais objetivos possível e terem o intuito procurar uma identificação com os nossos valores.

É super importante respeitar a pessoa candidata, considerar o nervosismo de estar em uma entrevista de emprego, se colocar no lugar do outro — afinal, falar sobre si mesmo pode trazer desconforto ao mexer com sua intimidade. Também precisamos estar dispostos a acolher os mais diversos sentimentos porque é comum que as pessoas fiquem sensibilizadas e emocionadas.

Qual a visão dos Take.seres sobre a entrevista de cultura?

Os Take.Seres, no geral, enxergam a entrevista de cultura como a parte mais importante do processo seletivo. Várias pessoas relatam como esse momento foi decisivo para entender um pouco mais da Take. Os candidatos e candidatas muitas vezes estão passando por mais de um processo seletivo e, no momento de escolher com qual empresa mais se identifica, também está avaliando a Take. 

Dessa form, quando há um match entre candidato e empresa, geralmente ele acontece na entrevista de cultura — e geralmente é duplo também —, como no caso de uma de nossas profissionais de vendas, Izabela Medina. Ela conta que a etapa foi um momento decisivo para a escolha de qual empresa trabalhar. Ela se sentiu acolhida ao se apresentar e se identificou com as pessoas que participavam. Além disso, sentiu naquele momento que a Take realmente se importa com as pessoas, e que aqui ela teria espaço para ser ela mesma.

A Ana Luiza Nigri, nossa super analista de BI, também entende essa parte como super importante. Ela conta que não importa a pessoa ter uma técnica excelente e não estar alinhada com nossos valores, que é muito legal ter envolvimento no processo seletivo e de saber que as pessoas que estão entrando também passaram pelo seu crivo.

Muitas vezes, nos pegamos pensando nos valores em momentos pessoais, que transbordam o ambiente de trabalho. Isso acontece porque eles já vêm com cada pessoa e em sua história, bem antes da Take. As pessoas já são Take.Seres bem antes do processo seletivo — nós só demos a sorte de encontrá-las.

Ser significa ter identidade, característica ou propriedade intrínseca. Por isso, ao sermos Take.Seres, podemos dizer que tomamos as decisões mais importantes alinhadas aos nossos valores: Take.Be, Take.Team, Take.Excellence, Take.Charge, Take.Simple e Take.Higher.

Sem separação entre profissional e pessoal, os comportamentos acabam sendo os mesmos, e isso confirma a precisão e eficiência da entrevista de cultura na Take.

Quer viver essa experiência e fazer parte de um time que se preocupa com as pessoas e traz novos desafios a cada dia? Então confira nossas vagas abertas e vem pra Take!

Referência: Livro Satisfação Garantida (Tony Hsieh)

patricia moretti post entrevista de cultura

Patricia Moretti

Estagiária de Atração e Seleção na Take

 

Leia mais:

Take.be: a importância de valorizar as pessoas nos tempos atuais

Escola Take: como buscamos engajar e desenvolver a comunidade com inteligência

Minha experiência de entrar na Take como estagiário e ser contratado