Minha experiência de entrar na Take como estagiário e ser contratado

Mudança. Acho que se eu tivesse que escolher uma palavra para definir a Take seria essa. Acredito que, além de definir bem o nosso dia-a-dia aqui, define melhor ainda o meu papel na empresa. E por isso resolvi escrever este post para contar um pouco mais sobre minha trajetória aqui até agora e, também, como foi o meu processo de entrar como estagiário e ser contratado.

Um pouco sobre mim

Entrei na Take em agosto de 2017 como estagiário em Outbound Marketing, ou o famoso pré-vendas.

Além de fazer prospecção ativa, buscando novas empresas para se tornarem nossos clientes, eu era o responsável pela pré-qualificação de todas as pessoas, ou leads, como chamamos na área de Marketing, que chegavam até a Take através de algum canal de atendimento. Se você já quis contratar a Take em algum momento desde essa época, provavelmente nós já conversamos!

Como eu cheguei até a Take

Nunca tinha ouvido falar da Take até junho de 2017, quando, já não muito satisfeito com meu estágio anterior, fui conversar com uma amiga que trabalhava como Outbound em uma startup aqui em BH. Eu trabalhava como Inside Sales na época, e resolvi que não queria mais trabalhar no comercial, e foi aí que tive meu primeiro contato com essa metodologia.

Comecei a fazer cursos online e pesquisar bastante sobre o termo, até que um dia ela me enviou o link de uma vaga de Estágio em Outbound Marketing e disse: “Tenta, conheço o Gerente da área, a Take parece ser muito legal”. Dei uma olhada na vaga e resolvi me candidatar ainda sem conhecer muito a empresa, afinal, por que não, certo?

Como foi minha experiência durante o processo seletivo

Algumas semanas se passaram, e no final de julho fui chamado para participar do processo, ainda sem entender direito o que a Take fazia e muito menos o que era chatbot. A partir daí foi tudo muito rápido, conversei com o RH por telefone, fiz um teste técnico por e-mail, dinâmica de grupo, entrevista de cultura e, por último, entrevista técnica com o gestor. Ufa! Tudo isso em apenas uma semana. Logo no processo já tive a impressão de como seria intensa a rotina por aqui, o que só me deixou mais animado ainda.

No mesmo dia da minha última etapa no processo, recebi a tão esperada ligação “Você passou, tem disponibilidade para começar na próxima semana?”. E foi aí que uma mistura de animação e ansiedade começou a tomar conta de mim. Eu mal esperava para conhecer minha nova equipe!

ser contratado cartão

Esse é o cartão que cada Take.Ser recebe de boas vindas, sempre com mensagens de várias pessoas atrás.

Como é fazer estágio na Take

Logo nos primeiros dias, já pude perceber o quanto cultura e pessoas eram importantes para a Take, e o quanto todos ali logo seriam grandes amigos. Na segunda semana, já tive o imenso prazer de participar como staff do primeiro grande evento da Take, o Chatbot4Devs. Inclusive sendo protagonista de uma história bastante engraçada, quando pedi licença a um homem que estava em frente ao estande dos brindes, para que não atrapalhasse o fluxo da fila. Mal sabia que se tratava de um dos nossos diretores 🙂

ser contratado na take chatbot4devs

Time de Marketing no Chatbot4Devs, em 2017

Muita coisa aconteceu nesse tempo. Cresci muito pessoal e profissionalmente, meu papel na empresa sofreu diversas mudanças ao longo dos meses, e, no final do ano de 2018, tirei minhas primeiras férias aqui na Take. Fiquei logo um mês fora, e aí lembrei mais uma vez de como as mudanças aqui são rápidas.

Retornei no dia 26 de dezembro, com 820 novos e-mails, sem conhecer diversos novos Take.Seres, com uma ferramenta nova sendo contratada para o time e eu sendo um dos responsáveis pela implementação e vi que havia um grande desafio me esperando nos próximos meses — e que certamente meu papel sofreria novas alterações.

Como foi ser contratado e o processo de efetivação

Logo no final de janeiro deste ano, já recebi a notícia de que minha contratação seria antecipada de agosto (quando completaria meus 2 anos de estágio) para fevereiro. E naquele momento a sensação foi de que eu havia sido aprovado novamente no processo seletivo.

Assim como no processo seletivo, após essa conversa tudo ocorreu muito rápido, e dentro de uma semana tudo já estava resolvido: exame admissional realizado, carteira assinada e eu como CLT pela Take. Inclusive passando por um pequeno trote amigável no Marketing, afinal somos a área criativa da empresa, certo? Então existe uma melhor forma de comemorar a contratação de um membro do time do que um crachá em tamanho A3 com alguma foto antiga? Eu acho que não 😉

ser contratado crachá

Obrigado, Vinícius!

E essa foi minha experiência de entrar como estagiário e ser contratado na Take. Espero que tenham gostado tanto quanto eu, e se quiser fazer parte disso tudo, dê uma olhada nas nossas vagas abertas!


João Pedro post ser contratado

João Pedro Macedo

CRM e Qualificação de Leads

 

Leia mais:

Data & Analytics: conheça a nova área de dados da Take

O que significa viver uma mudança de sede depois de 19 anos

O que aprendi sobre metas pessoais em uma empresa que usa OKRs