Take.be: a importância de valorizar as pessoas nos tempos atuais

Aqui na Take, temos seis valores que definem a nossa cultura, e hoje vamos falar agora sobre o principal deles: o Take.be.

Resumindo em uma frase, Take.be significa pessoas em primeiro lugar. O valor Take.be nos lembra todos os dias que o nosso foco está nas pessoas.

Mas afinal, o que significa ser Take.be? Qual a sua importância para o nosso contexto? E por que acreditamos que esse valor da Take também é relevante para a sociedade de maneira geral? São algumas perguntas que queremos responder com este texto.

O individualismo que guia a sociedade atual

Hoje em dia, um dos princípios que mais se destaca nas relações humanas é o individualismo. Boa parte dos livros de autoajuda reforçam este pensamento, pois afirmam que sua felicidade depende exclusivamente de você e, para isso, você precisa se colocar em primeiro lugar.
De fato, a determinação para atingir nosso objetivos é muito importante, mas é preciso refletir sobre o quanto isso tem nos atrapalhado para perceber o que acontece à nossa volta.
Sabe aquela frase clichê de que a tecnologia aproxima quem está longe e afasta quem está perto? Acredite, ela faz muito sentido. Temos muitos amigos (se é que podemos chamá-los assim) nas redes sociais, mas a grande maioria não é mais do que uma relação superficial. Pessoas que apenas observam o que estamos fazendo agora, mas não sabem sobre o que se passa por trás das câmeras.

Características de sociedades individualistas

Simmel (2005 [1903]) comenta sobre a primeira revolução individualista no século XVIII, na qual as pessoas buscavam se libertar dos laços políticos e religiosos. Diziam que ser independente destas relações traria a melhor versão do homem.
Sabemos que certas ideologias religiosas, por exemplo, realmente dificultavam o senso crítico, mas será que todos os laços políticos e religiosos realmente precisam ser rompidos? Segundo Vieira e Stengel, em sociedades individualistas, há uma crença de que a sociedade deve estar à serviço do indivíduo, e não o sujeito como agente contribuinte para o todo.
Um bom exemplo para refletir sobre o quanto o individualismo impacta a sociedade é pensar nas diferentes formas de preconceito praticadas hoje. Elas demonstram justamente a imposição ao outro do que consideramos como o padrão ideal. É a anulação da subjetividade do outro para atender aos nossos critérios.

E onde entra o Take.be nessa história?

Com uma cultura de colaboração e feedbacks, a Take busca fugir essa ideia individualista. Assim, ao ter as pessoas em primeiro lugar como nosso principal valor, temos ações diárias que são voltadas para o cuidado e valorização do outro.
Praticamos a empatia ao perceber que as pessoas possuem histórias e características distintas. Temos atitudes respeitosas e valorizamos a diversidade, então, cada pessoa tem liberdade de ser exatamente quem é, sem apego a estereótipos.

Respeitamos os diferentes posicionamentos e entendemos que, onde há um time diverso em que as pessoas se sentem seguras para expressar suas opiniões, o resultado é muito melhor!

O valor dos feedbacks

O feedback aqui não é um ritual que gera ansiedade nas pessoas, e sim uma cultura de constantes sugestões, pois queremos que todos os Take.Seres se desenvolvam a cada dia mais!
Além disso, o feedback também inclui nossos acertos, para valorizar as conquistas de cada pessoa. Outra forma de fazer isso é através do programa Take.Valoriza, que é uma forma de concretizar nosso reconhecimento pelas ações de alguém!
Nós nos preocupamos e nos importamos com os outros, ou seja, se alguém não está bem, vamos oferecer um ombro amigo! Aqui, você é mais importante do que o que você faz.
Imagine, então, 200 pessoas sendo incentivadas a repensar sua percepção sobre o outro diariamente! São muitas as mudanças que podemos gerar na sociedade!
A Take existe por causa das pessoas. Nossa visão é mudar a vida das pessoas por meio de uma mensagem, e isso só é possível com a ajuda de quem trabalha no time Take. Nossa cultura é resultado da forma com que as pessoas se relacionam aqui, e no que elas acreditam.
Percebeu que as pessoas estão envolvidas em tudo, né? Para além do prédio institucional, o convite aqui é o mindset para mudar o mundo. E se você quer fazer parte disso, confira nossas vagas abertas e venha para a Take!

Leia mais:

Entenda por que, no mês da Mulher na Take, entregamos rosas para os homens

Escola Take: como buscamos engajar e desenvolver a comunidade com inteligência

O que significa viver uma mudança de sede depois de 19 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste desses conteúdos também: