Teste de carga com JMeter – Instalação e configuração

O JMeter é uma ferramenta open source para criação e execução de testes de stress, carga e desempenho. Os objetivos desse tipo de teste são descobrir a performance e o desempenho de um serviço quando exposto a uma carga específica, avaliar a carga máxima suportada pelo servidor e descobrir pontos de gargalo nas requisições.

O JMeter utiliza o conceito de usuários virtuais, que simulam usuários reais executando ações determinadas pelo script.

Instalação

O JMeter é uma ferramenta desenvolvida em Java. Por esse motivo, é necessário que sua máquina tenha Java instalado.

Cada versão do JMeter tem suas particularidades e restrições quanto à versão do Java instalado. Em geral, os releases mais recentes possuem todas as funções da última versão. que é a 3.1. Porém, um script gravado em alguma versão antiga pode não abrir em uma versão mais nova.

No meu caso, estou usando um Windows 10 com Java 8. Só que o JMeter funciona em outras versões do Windows e também em distribuições do Linux. A versão 3.1 necessita de, no mínimo, Java 7 instalado — lembrando que esse pré-requisito é válido para o JMeter disponibilizado pela Apache Software Foundation. Alguns plug-ins ou bibliotecas adicionais podem aumentar a lista de requisitos.

Para instalar o Java, basta entrar neste link, aceitar os termos de licença e escolher o download da versão do seu Windows, assim como na imagem.

Após a instalação do Java, podemos finalmente instalar o JMeter — que na verdade não necessita de um setup. Só precisamos baixar o cliente neste link (como no exemplo da figura) e aguardar o download.

Depois de concluir o download, o próximo passo é descompactar a pasta apache-jmeter-x.y para um local de sua preferência. O arquivo do JMeter se encontra dentro da pasta bin com nome de JMeter. É um arquivo com extensão bat.

Configuração

Em geral, a criação de um script com o JMeter é bem simples. Nessa primeira parte, iremos fazer as configurações básicas para, no próximo post, finalmente criar os scripts.

A primeira coisa a certificar é que existe permissão de liberar portas e que existam portas não utilizadas — a porta 80, por exemplo, não irá funcionar. Geralmente, esse requisito é bem fácil de ser atingido. Precisaremos disso simplesmente para criar um proxy com o browser.

Existem outras formas de criar seu script, mas essa é a mais simplificada e você poderá usá-la em 90% dos seus scripts.

O primeiro passo de qualquer script é a preparação para gravar o cenário. Os passos são os seguintes:

  • Configure o proxy no browser com a porta que você escolheu — eu uso geralmente o Mozilla Firefox (que tem as configurações de proxy independentes das do Google Chrome e Edge/Explorer) — e a porta 3024.
    Vá em “Opções” e Avançado, ou digite about:preferences#advanced e dê enter.
    Na aba “Rede”, clique em “Configurar conexão”.
    Marque “Configuração manual do proxy”, preencha como a imagem e clique Ok.
    Lembre-se sempre de limpar o cache antes de iniciar os testes.

  • No JMeter, em Plano de Teste, crie um Grupo de Usuários, que é onde todas as requisições enxergadas pelo nosso proxy serão gravadas. (Botão direito em Plano de Testes -> Adicionar -> Threads (Users) -> Grupo de Usuários).

  • Ainda no JMeter, mas na Área de Trabalho, crie um Servidor HTTP Proxy com as configurações da imagem. Crie também uma árvore de resultados adicionando com o botão direito -> Ouvinte -> Árvore de Resultados.

Conseguimos fazer as configurações básicas para criar nosso primeiro script. Nos próximos posts, vamos criar scripts explorando ainda mais as funcionalidades da ferramenta.

Continue acompanhando e até o próximo post!